sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

ACTUALIDADE

"O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão
dissolvidos, as consciências em debandada, os carácteres corrompidos.
A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há
princípio que não seja desmentido. Não há instituição que não seja
escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre
os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos. Alguns
agiotas felizes exploram. A classe média abate-se progressivamente na
imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços
públicos são abandonados a uma rotina dormente. O Estado é considerado
na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo. A
certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências. Diz-se por
toda a parte: o país está perdido!"

Eça de Queiroz, em 1871

O que dizer mais?

7 comentários :

elvira carvalho disse...

E em mais de um século não se aprendeu nada, não se melhorou nada.
Sim porque este texto poderia ter sido escrito hoje.
Um abraço e bom fim de semana

Cata-Vento disse...

Acabo por crer que este é o nosso fado. A História se encarregará de escrever por linhas direitas as razões do nosso actual padecimento. Que povo é este que veio lá das Astúrias, onde tanto lutou por um pedaço de terra e que actualmente vive tão acomodado?

Beijinhos Lagartinha atenta.

lagartinha disse...

Elvira
Precisamente!
Um beijinho

lagartinha disse...

Cata-vento
Quer-me parecer que já vi este filme em várias épocas...as que antecederam as vária revoluções...
Bejocas

Esoj Odnuges disse...

O Eça era um pessimista.

lagartinha disse...

Mas cheiinho de futurologia...

lagartinha disse...

Mas cheiinho de futurologia...