domingo, 31 de julho de 2011

A minha experiência com os blogues, partiu da revolta que senti com o desaparecimento de um menino chamado Rui Pedro. Por ele, iniciei-me na blogosfera com o AGUALUSA, na esperança de que um dia tudo o que publicasse chegasse à vista do Rui Pedro. Na altura, Filomena, a sua Mãe, chegou a deixar um comentário, o que me levou a não desistir de dispor do meu tempo disponível par ajudar no que me for possível na busca do menino da Lousada.. Hoje, como mãe, sinto-me na obrigação de utilizar um meio de que disponho (o meu blogue) para divulgar o facto de que uma Mãe procura ainda desesperadamente o seu filho, acreditando que o mesmo se encontra vivo e não sabe as suas origens. Não desisto de ajudar e no que me diz respeito, Maria Filomena, pode contar com o meu espaço para procurar o Rui Pedro.

3 comentários :

Isamar disse...

Um comentário comovente que revela bem a tua sensibilidade e os valores que te norteiam. Maria Filomena, mãe do menino de Lousada, não desistiu de procurar o filho e fá-lo-á até à morte. Não tenho dúvidas algumas. O seu sofrimento é atroz e trá-lo espelhado no rosto,no corpo, nas palavras que profere.Seria para todos os Portugueses, e não só, uma alegria, sem conta nem medida, o seu aparecimento vivo em qualquer lugar do mundo. Duvido mas sou uma mulher de fé.
Bem-hajas, Lagartinha, por teres regressado à blogosfera e deixado um comentário no meu Cata-Vento. Quanto gostaria de conhecer-te!

Beijinhossssss

elvira carvalho disse...

Gostei de ver que está de volta embora o tema do post não fosse o que eu gostaria de ver. O que eu gostaria de ver era a notícia de que enfim a Maria Filomena tinha reencontrado o seu Rui Pedro.
Obrigada pela visita lá no meu cantinho. Sabe que estive no Algarve com a Isamar? Uma amiga muito simpática, um ser humano fantástico.
Um abraço e uma boa semana. Sem goleadas...

Isamar disse...

Voltei a reler o teu post.Mais uma vez, fiquei arrepiada e de lágrimas nos olhos. Não há quem fique indiferente ao sofrimento desta mãe exemplar para quem a vida passou a ser uma dura batalha. Que ela, uma guerreira inabalável, encontre o seu filho. Vivo ou morto.
Agradeço a tua passagem pelo Cata-Vento e se um dia passares por estas paragens,um verdadeiro paraíso, avisa. Terei todo o prazer em encontrar-me contigo.

Beijinhos mil

Bem-hajas!