sábado, 22 de agosto de 2020

OS DIAMANTES DA DIAMOND MAGAZINE

Hoje vim arejar a minha humilde casinha.
Também vou aproveitar para compartilhar a experiência maravilhosa que estou a ter, ou melhor dizendo, experiências!

Então, aqui vai: meti na cabeça que a vida começa aos 55  e voltei a estudar. Claro que a intenção era regressar ao mundo do trabalho (fora o da casa!) mas com alguns critérios: teria de gostar muito do que iria fazer, mas acima de tudo, queria ter oportunidade de escolher, não só quem me iria ensinar, mas também dar trabalho, trabalho e não emprego, porque embora possa parecer igual, na realidade, não é nada igual.

Para me ensinar escolhi o Instituto do Emprego e Formação Profissional e dentro deste, o IEFP de Cascais, onde existiam as formações que me interessavam e às quais me podia inscrever, depois daquelas coisas todas que se tem de fazer, inscrever no centro de emprego, documentos para aqui, documentos para ali, essa parte é a mais chata... mas depois, vamos conhecer e começamos a formação e, no meu caso fiquei meia aparvalhada,  porque tinha uma ideia pré-concebida de que a formação seria bastante deficitária, à pressa, sem rigor e sem grande aceitação no mercado de trabalho; nada mais errado! Os formadores são pessoas com elevados conhecimentos sobre os temas que se vão desenvolvendo ao longo das sessões e principalmente, formam mesmo as pessoas, tornam-nas melhores no que já sabiam e dão-lhes conhecimentos técnicos para desempenharem as tarefas necessárias às funções que irão desempenhar.

Estas formações só se tornam um curso quando são todas validadas, incluindo o estágio curricular, ou seja, formação em contexto de trabalho.

O estágio curricular é obrigatório e para alguns colegas foi difícil encontrarem bons estágios em tempo de COVID; eu tive a boa estrela a guiar-me porque fui precisamente queixar-me disso à mãe do melhor amigo de um dos meus filhos. E de repente ela diz-me "não gostarias de estagiar comigo, na revista?" Confesso que se não dei pulos de alegria, senti-os pelo menos! Tinha terminado uma formação em Comunicação e Publicidade e ela pergunta-me se eu não gostaria....os nossos filhos são amigos há anos, mas não era uma pessoa com quem tivesse uma relação  quotidiana, por isso foi assim um bocado a medo que fui ao seu escritório, cuja equipa estava toda a trabalhar em casa e tivémos uma pequena reunião sobre o que cada uma precisava e onde me encaixar e iniciei o estágio no dia seguinte.

Tenho tido a sorte do meu lado no que toca às pessoas com quem mantenho relações; para além dos formadores, que me ensinaram técnicas de trabalho com...a área em que formei, tive uma experiência fantástica com a microempresa que me deu a oportunidade de concluir a formação em contexto de trabalho.
Uma empresa apanhada tal como todos na maldita pandemia, com a equipa a trabalhar a partir de casa: Uma publicação trimestral, que mostra aos seus leitores o que de mais luxuoso existe no mundo, através de imagens e artigos que são uma montra para as marcas de qualidade superior e um guia atual para um estilo de vida que se pauta pela excelência dos serviços e produtos que consome.

A diretora desta revista tem em mãos um trabalho hercúleo em tempos de COVID 19.

A minha recente formação, bem presente no que toca à teoria, está muito direcionada para resultado de massas e esta publicação é uma revista para um nicho da população mundial. No entanto, o poder de compra de cada um não pode ser impedimento para conhecermos um novo automóvel topo de gama, ou que uma marca de griffe lançou um negócio completamente diferente mas que tem a sua marca. Só por não podermos comprar, podemos saber que existe! Os parceiros que honram a revista com as suas marcas são o garante da economia: cada marca tem a seu cargo centenas, senão milhares de empregos associados, que vão desde os administradores aos zeladores, em áreas tão diferentes da economia, que deviamos pensar um pouco nisso de vez em quando...

A ética de trabalho é o que mais gosto de ver nesta revista. O prazer com que se pensa nos parceiros ao paginar, a importância do que é Nacional e o destaque que merece, mas principalmente o respeito por todos os colaboradores e pelo seu trabalho, a quem se agradece diariamente o contributo de cada um. Uma equipa feliz, unida, com o objetivo de honrar os prémios já recebidos pela excelência do seu trabalho.

Conhecer pessoas como a maravilhosa Henriqueta Paredes é um verdadeiro luxo! É também um diamante da Diamond magazine, cujo blogue BLACKQUEEN nos ensina o que é o bom gosto.


Para quem quiser ver a revista Diamond Magazine  pode aceder aqui.

Estou muito contente comigo e com a decisão que tomei há 3 anos atrás, de voltar a estudar. Aprendi imenso e continuo a aprender todos os dias que quando nos rodeamos de pessoas de bom carácter, as coisas boas acontecem.







segunda-feira, 5 de agosto de 2019

CINCO A ZERO

Quem eram aqueles jovens vestidos de verde e branco?
Se eu escrever aqui que se perdeu a identidade do SCP, talvez falte à verdade...

Não quero de modo algum entrar em juízos de valor, no entanto, não posso deixar de reconhecer uma coisa:
O entusiasmo do presidente/adepto Bruno de Carvalho, que para o mal e para o bem,  mantinha uma malha de adeptos que vibrava com o Clube e que dava uma certa "pica".
Sendo adepta não sócia (tenho mais onde gastar o meu dinheiro)o presidente do clube , deve pelo menos mostrar algum entusiasmo e assegurar que os seus jogadores tenham em mente que os adeptos são como clientes comerciais e como tal, devem ver as suas necessidades satisfeitas;
Fazendo um paralelismo entre o Dr.Bruno de Carvalho e o Dr. Frederico Varandas, pessoalmente não me restam muitas dúvidas de que se as ações do primeiro foram más, as do segundo pecam por inexistentes... O que está o Dr.FV a administrar? O dinheiro do clube? Apenas? Então e o resto? A massa adepta que se tem vindo a mostrar cada vez mais desinteressada?
É que não são apenas as derrotas ou falta de vitórias, a mim, o que me custa é o desinteresse com que os jogadores entram no campo, as sucessivas faltas para cartão inexplicáveis no que respeita aos valores morais do Clube...
Acho que o dr.BdeC. viu o mesmo que eu, só que lhe faltou a seu lado quem o aconselhasse no modo de proceder em conformidade. As chamadas de atenção deviam ter sido feitas em privado, claro, mas tinham razão de ser...
Por muito insatisfeuto que um funcionário esteja, o código de trabalho é explícito e um dos deveres do trabalhador prende-se com o desempenho em prol do nome da instituição na qual vende a sua mão-de-obra. Ouço e vejo recairem as culpas no treinador, mas até que ponto se culpam os jogadores por desempenharem mal a sua tarefa? Sim, o treinador deixa que aconteça, é responsável, mas será mesmo assim? Será que o treinador queria mesmo utilizar o Bruno Fernandes neste derby? Porquê? A probabilidade da sua saída é tão grande, que, sabendo a equipa que não vai jogar já na primeira jornada do campeonato, deve ter entrado em campo a pensar em fazer brilhar o colega...mas o jogo não era para isso...era para uma taça e o que dá gozo aos adeptos é ganhar ao rival, o outro lado da circular...a outra cor da bandeira...quem quizer ver o Bruno Fernandes jogar, que acompanhe a equipa que o levar!

  • Eu sou adepta do Sporting Clube de Portugal e não de cada um dos jogadores;
  • Gosto de defender o meu clube preferido, que merece que lutem por ele;
Cinco a zero foi uma derrota pesada, mas, há sempre um mas, há que saber reconhecer quando o adversário é mais eficiente e...o primeiro milho é dos pardais...
Fuuuui


terça-feira, 28 de maio de 2019

A MÃO DO SCP


Tyrion Lannistair:  a Mão do SCP
"QUIETINHO QUE O CANECO É DO SPORTING!"